CORONAVÍRUS – CUIDADOS

0
457
Pixabay

Em 31 de dezembro de 2019, a China comunicou à Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a ocorrência de um surto de doença respiratória aguda grave, na província de Hubei, com maior concentração de casos na capital Wuhan. Nas semanas seguintes, foram detectados casos em outras províncias da China, que concentrava aproximadamente 99% dos casos ocorridos em todo o mundo (até 12 de fevereiro de 2020).

Com a confirmação de mais de 40.000 casos no início de fevereiro de 2020, as principais características dessa epidemia são:

*O período de incubação estimado por meio de 6 estudos publicados até este momento apresenta uma variação entre 0 a 24 diaS,  embora a OMS estime entre 1 a 12,5 dias (mediana 5-6) 8;

*A transmissibilidade, medida pelo número básico de transmissão (1,4 a 2,5) , é maior do que a registrada em epidemia anterior pelo Coronavírus (2002/2003);

*A taxa de letalidade é estimada em 2%1 é menor do que a registrada na epidemia anterior pelo Coronavírus (9,6%).

Caso suspeito de infecção humana pelo Coronavírus 2019 (COVID – 19):

Situação 1: Febre-  E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

 Situação 2: Febre-  E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso2 suspeito para o Coronavírus 2019 (COVID – 19), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas;

 Situação 3: Febre-  Ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros). E contato próximo de caso2 confirmado de Coronavírus 2019 (COVID – 19) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.  Febre pode não estar presente em alguns casos como, por exemplo, em pacientes jovens, idosos, imunossuprimidos ou que em algumas situações possam ter utilizado medicamento antitérmico.

Evite contato próximo com pacientes que tenham estes sintomas. Nestas situações, o contato próximo de caso é definido como: estar a aproximadamente dois metros de um paciente com suspeita de caso por Coronavírus 2019 (COVID – 19), dentro da mesma sala ou área de atendimento, por um período prolongado, sem uso de equipamento de proteção individual (EPI). O contato próximo pode incluir: cuidar, morar, visitar ou compartilhar uma área ou sala de espera de assistência médica ou, ainda, nos casos de contato direto com fluidos corporais, enquanto não estiver usando o EPI recomendado.

Medidas de Prevenção :

Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;

 Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar;

Usar lenço descartável para higiene nasal;

 Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir;

Evitar tocar nas mucosas dos olhos;

Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

Manter os ambientes bem ventilados;

Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

IMPORTANTE:

A Infecção Humana pelo Coronavírus 2019 (COVID – 19) é uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional. Caso haja alguém com estes sintomas, há necessidade de encaminhamento aos Postos de Saúdes,  Clínicas ou Hospitais.

Recomenda-se o uso de máscaras ao paciente e aos acompanhantes.

A saúde é nosso maior bem, preserve-se, informando-se!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui